Tags

,

Minha intenção era seguir uma certa ordem com relação ao tempo cronológico desde a gravidez até o mês a mês com o bebê.

Porém, acho que vale a pena ir postando artigos sobre assuntos conforme eles vão surgindo…  No atual momento, o assunto aqui trata da transição na alimentação do bebê.

Em nosso caso, o Gabriel mamou exclusivamente no peito até 5 meses e 20 dias quando, por uma forte constipação intestinal, o pediatra recomendou antecipar a introdução de outros alimentos.

Claro que o processo foi (e ainda está sendo) gradativo, mas já quero compartilhar sobre as facilidades e as dificuldades que essa fase apresenta.

Começamos com suquinhos, depois papa de frutas e posteriormente as papas “salgadas” (entre aspas porque elas não devem conter sal).

Bem, com relação aos suquinhos as principais dificuldades foram:

1) escolher em qual recipiente oferecer o suco (visto que a recomendação é iniciar no copinho de treinamento ou em uma xícara de café);

2) como escolher variedades de frutas, de forma que o suco fique “tomável”, pois a maioria das frutas em que é possível oferecer em suco são ácidas e consequentemente, azedas (a essa altura ainda não se deve adicionar açúcar aos alimentos).

Eu bem que tentei o copinho de treinamento, que por sinal custa bem carinho, mas não estava rolando…  Vi que ele estava ficando com uma alimentação mais pobre, visto que o suco tomava o lugar de uma mamada e como ele não tomava o suco, começou a ficar com um intervalo de tempo muito grande sem se alimentar.

Na xícara, 90% do conteúdo vazava para fora da boca então, a consequência acabava sendo a mesma.

Dessa forma, me entreguei à mamadeira que eu tanto resisti…  E aos poucos ele foi se acostumando (pra ele foi difícil também visto que é bem diferente mamar no peito – o que ele fez exclusivamente por 6 meses – e na mamadeira).

Hoje, quando o suco é mais denso, tipo aqueles sucos de mamão, ofereço na xícara e apesar da alta taxa de desperdício, aos poucos temos tido mais sucesso.

Com relação às frutas para os sucos, fui tentar seguir recomendações da pediatra e cheguei até a ver o Gabriel tendo aquele famoso “estremilique” por tomar algo muito azedo. Foi aí que resolvi fazer mais o que o coração de mãe manda do que o que o pediatra manda. Parti para sucos de frutas bem docinhas, como melão orange (não tenho certeza se é esse mesmo o nome – ele é verde por fora e cor de laranja por dentro), melancia, maçã (as de tipos mais doces, como Red, Argentina…), mamão, além da tradicional laranja-lima. E tem dado certo, ele pegou gosto pelos suquinhos…

Sobre as papas, prefiro continuar no próximo post para não ficar muito cansativo…  🙂  Além do que, assim como aqui, as papas também fazem parte de uma próxima etapa na introdução dos alimentos!

Todas as informações contidas nesse post são apenas para compartilhamento de experiências. Para orientação correta, consulte seu ginecologista-obstetra e/ou pediatra.

Anúncios